CUNHA PEREIRA FILHO

Blog

Descubra se o carro tem a quilometragem alterada

Ao comprar um carro, principalmente usado, é uma alegria e um alívio encontrar um automóvel com a quilometragem baixa. Pois se o veículo rodou pouco, subentende-se que terá mais tempo de vida útil. Porém, fica aqui um alerta sobre como muitos golpistas ou empresas de má fé têm burlado a realidade do marcador, baixando a sua quilometragem.

Mas, com certeza, uma das maiores preocupações na hora de adquirir um carro usado ou seminovo é a quilometragem, então, como saber se o hodômetro foi adulterado? A primeira dica é: quando você adquire um carro que apresenta pouca quilometragem, mas que suas condições não correspondem a esse resultado – é melhor desconfiar.

Outro aspecto a ser considerado é que os carros estão cada vez mais modernos e tecnológicos, e isso permite com que muitos rodem por vários quilômetros, sem apresentar nenhum problema grave ou considerável.

No mercado automobilístico é considerado como normal os carros rodarem uma média de 15.000 quilômetros ao ano, mas a maioria dos compradores valorizam os carros que tenham rodado menos do que isto, confiando no que o marcador está revelando – independentemente se o carro está ou não em boas condições. E aí está um dos principais motivos do porque muitos veículos têm o seu marcador adulterado – para que a venda seja mais fácil. 

Mas o que você precisa analisar? Quanto ao interior do veículo, preste atenção no estado dos bancos, o estofamento, o volante, os pedais, as borrachas, a embreagem e tudo o que é possível avaliar a olho nu. 

Outra dica é ficar atento ao desgaste do veículo, em relação à quilometragem. Por exemplo, carros com 50.000 km apresentam pouco desgaste. Já os carros com 100.000 km apresentam desgastes não muito evidentes, enquanto os veículos com quilometragem superior a 100.000 km podem apresentar um desgaste elevado, especialmente em relação às partes metálicas, que ficam à vista, além do estado do volante, ligeiramente mais liso, que é um indicativo do uso contínuo. Prestar atenção nos detalhes é essencial para perceber uma alteração.

Se o desgaste for demasiado e muito evidente, pode ser que você tenha sido prejudicado. Mesmo que todos esses equipamentos tenham sido projetados para ter excelente durabilidade, caso o veículo apresente um desgaste que não seja correspondente com a quilometragem, você deve ficar atento.

Além disso, preste atenção aos seguintes pontos:

  1. O carro tem manual? Ter manual é bastante importante, porque muitos proprietários registram o histórico das manutenções ali, além das revisões que foram feitas – suas datas e atuais quilometragens.
  2. Confira a data da última troca de óleo: Sabe aquela etiqueta colada no para-brisas? Geralmente ali consta a data da última troca de óleo e a quilometragem do veículo quando ela foi realizada.
  3. Os sinistros e as vistorias: Você pode perguntar ao antigo dono, qual foi a companhia de seguros contratada e através dela, tentar saber sobre algum sinistro e vistoria do carro. Também na seguradora, você pode solicitar a quilometragem da vistoria ou do sinistro – essas informações são válidas quando reunidas e podem auxiliar em caso de processo judicial.
  4. Analise com cuidado se existem marcas no plástico do painel que possam sugerir que o mesmo tenha sido desmontado. 

E no exterior, o que deve ser reparado é a condição da pintura e a aparência frontal do capô – dentro e fora. Essa é uma condição que precisa ser levada em conta, porque sinaliza o real estado do carro.

Como dicas extras também observe:

  1. Falta de rugosidade no volante e na manopla do câmbio;
  2. Desgaste nas borrachas dos pedais e tapetes;
  3. Trincas de desgaste no couro das coifas do câmbio e do freio de mão, geralmente indicam quilometragens acima de 80 mil km;
  4. Pintura queimada e faróis bastante amarelados também indicam que o carro rodou bastante; 
  5. Os pneus também denunciam o quanto o carro foi usado. Um jogo costuma durar, em média, entre 40 a 60 mil quilômetros rodados. 

Caso você não seja um especialista em carros, será difícil descobrir qual é a quilometragem original do veículo que está adquirindo. Então, o que pode ser feito? Peça um laudo especializado!

Leve-o até o seu mecânico de confiança ou terceirize a avaliação por empresas especializadas especialmente antes de comprar o carro. Também procure saber se a loja que você escolheu tem como prática fazer a perícia. Isso dá mais segurança na hora de levar o seminovo para casa.

E por último, desconfie sempre! E como a fraude é descoberta? Os hodômetros eletrônicos fazem uso de uma roda dentada e um sensor magnético que conta exatamente os pulsos emitidos pela passagem na roda dentada. E o controle do motor é o responsável por computar pulsos e medir a quilometragem.  O que realmente vale não é o que diz o contador digital e sim a unidade de controle do motor.

 

E o que fazer quando a alteração da quilometragem for comprovada? A primeira coisa é procurar por escritórios de advocacia que entendam do assunto, porque adulterar a quilometragem de um carro pode ser considerado crime de estelionato, conforme o artigo 171 do Código Penal.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
WhatsApp Chat